O JornalDentistry em 2017-12-21

ARTIGOS

O álcool e cancro - fatos e riscos para a saúde

Embora existam benefícios comprovados para a saúde por se beber álcool com moderação e alguns benefícios específicos devido aos compostos naturais encontrados no vinho tinto, beber contudo nem sempre é bom para a saúde.

Beber regularmente e em excesso pode ter alguns impactos sérios e negativos na saúde e pode até estar ligado a um risco aumentado de mesotelioma ou outros tipos de cancros.

Beber álcool com moderação durante o tratamento do cancro pode ser bom para alguns pacientes, mas geralmente deve ser evitado. Isso pode agravar os efeitos colaterais e os estudos também estão investigando se o álcool pode ou não aumentar o risco de recorrência do cancro. O consumo de álcool é um fator de risco para o cancro

Muitos estudos encontraram e confirmaram, que beber álcool é um fator de risco para desenvolver cancro em geral e para certos tipos específicos de cancro. Especificamente, beber foi associado aos cancro de garganta, oral, esófago, fígado, cólon, mama,  estômago e cancro do pâncreas. Quanto maior for consumo de álcool, maior é o risco. De acordo com dados da pesquisa, aproximadamente 3,5 por cento das mortes por cancro  estão relacionadas ao consumo de álcool. 

1) A pesquisa detetou alguns dos fatos específicos sobre beber e cancro: 

— As pessoas que bebem de três a quatro bebidas alcoólicas por dia têm um risco de duas a três vezes maior de desenvolver um cancro de cabeça e pescoço. 

— Beber não é apenas um fator de risco, mas uma causa conhecida de cancro do fígado. 

—O consumo de álcool é um fator de risco para o carcinoma de células escamosas esofágicas e o risco é maior para pessoas com uma certa mutação genética que as torna mais difícil metabolizar o álcool. 

—  As mulheres que consumem três bebidas alcoólicas por dia têm um risco 1.5 vezes maior de desenvolver cancro da mama. 

— O álcool aumenta o risco de cancro colorretal, especialmente nos homens. 

— O consumo regular de álcool contribui para o desenvolvimento do cancro de várias maneiras. Nos cancros da boca e da garganta, o risco pode ser causado pelo fato de que o álcool irrita as células desses tecidos, causando danos no DNA. No fígado, o álcool causa cicatrizes e inflamações, o que também prejudica o DNA. No cólon, o álcool é convertido num composto denominado acetaldeído, que é um carcinógeno conhecido. 

2) Outros impactos negativos na saúde do consumo de álcool 

Existem outras maneiras pelas quais o álcool afeta a saúde de forma negativa, e algumas delas podem indiretamente contribuir para causar cancro. Por exemplo, o álcool faz com que os níveis do hormónico estrogéneo aumentem no organismo. Isso, por sua vez, pode levar ao cancro da mama. Outro impacto negativo do consumo de álcool é o aumento de peso e a obesidade. Ser obeso também é um fator de risco para cancro de todos os tipos. O consumo regular impede o corpo de absorver algum nutriente, que ajudam a manter as células saudáveis, o que pode causar muitos problemas de saúde, inclusive promover o desenvolvimento do cancro. 

Outros problemas de saúde que o consumo excessivo de álcool pode causar incluem aqueles que são de longo prazo. Um dos maiores problemas de saúde é o dano no fígado. O excesso de bebida ao longo do tempo causa inflamação e cicatrizes, o que, em última instância, pode fazer com que o fígado falhe. O consumo de álcool também pode prejudicar o cérebro e o pâncreas, aumentar o risco de ataque cardíaco e acidente vascular cerebral e aumentar a pressão arterial.

3) Riscos para beber e saúde mental 

Além disso, os muitos riscos de saúde física de beber em excesso, o álcool também podem contribuir ou causar problemas de saúde mental, incluindo a dependência. O vício do álcool é uma doença muito grave que é difícil de superar e que causa efeitos de saúde física, sofrimento mental e maior comprometimento no funcionamento quotidiano. 

Existe também uma forte ligação entre o consumo de álcool e a doença mental. A relação entre os dois é complicada. Em alguns casos, uma pessoa pode ter uma doença mental e usar álcool para lidar, enquanto que em outros casos o álcool pode desencadear sintomas de doença mental. Os transtornos do humor, como a depressão, são mais comummente associados ao uso intenso de álcool. Para pessoas com doenças mentais existentes, beber pode piorar os sintomas. 

4) Beber durante e após o tratamento do cancro 

Os tratamentos para o cancro tem consequências físicas e mentais Evitar o álcool, ou pelo menos não beber regularmente ou em demasia, é uma boa ideia. Uma razão muito específica para não beber é que o álcool pode interagir perigosamente com certos medicamentos de quimioterapia. A quimioterapia também causa efeitos colaterais desagradáveis, como náuseas, vómitos, feridas na boca e dor que o álcool só piorará. 

 

Beber álcool nem sempre é ruim, mas deve ser limitado e moderado. 

 

A  American Cancer Society recomenda que as mulheres não tomem mais de uma bebida por dia e os homens não ultrapassem as duas.

 

Fonte principal:  Oral Cancer News - Compiled by Oral Cancer Foundation

Fonte:  mesothelioma.net

Artigo original:  "Alcohol and cancer – facts and health risk"

 

Saber mais::

https://www.cancer.org/cancer/cancer-causes/diet-physical-activity/alcohol-use-and-cancer.html

http://www.cancerresearchuk.org/about-cancer/cancer-in-general/treatment/chemotherapy/living-with/alcohol

https://www.medscape.com/viewarticle/853128

https://www.cancer.gov/about-cancer/causes-prevention/risk/alcohol/alcohol-fact-sheet

 

 

Recomendado pelos leitores

Hipersalivação: Causas e tratamento
ARTIGOS

Hipersalivação: Causas e tratamento

LER MAIS

A má saúde oral pode provocar um maior risco de fragilidade nos idosos
ARTIGOS

A má saúde oral pode provocar um maior risco de fragilidade nos idosos

LER MAIS

Os anestésicos gerais fazem mais do que induzir o sono
ARTIGOS

Os anestésicos gerais fazem mais do que induzir o sono

LER MAIS

Translate:

OJD 47 JANEIRO 2018

OJD 47 JANEIRO 2018

VER EDIÇÕES ANTERIORES